Dicas para a profissão

Olá meus amigos advogados,

Estou buscando dicas sobre como conseguir estabilidade na advocacia. Tenho estudado bastante e explorei diversas áreas, mas ainda não encontrei o sucesso que procuro.

Embora eu me sinta confiante em peticionar na área cível, incluindo direito do consumidor a imobiliário, tenho dificuldade em captar bons clientes.

Atualmente, a advocacia tem sido um desafio para mim. Além disso, percebo que há muitos cursos no mercado que não entregam a qualidade prometida. Mesmo com algumas pós-graduações e especializações, ainda sinto que algo importante está faltando.

Estou aberto a dicas e parcerias. Se alguém puder me ajudar a melhorar minha performance na profissão, ficarei muito grato.

Abraços.
Insta: https://www.instagram.com/jeanbarret0/?__d=11

WhastApp: (85)99966.1332 - Fortaleza - CE

2 curtidas

Meu caro colega causídico, sua dor é da esmagadora maioria de nós, que escolhemos viver da advocacia. Não importa quantas pós-graduações você tenha e se tais foram cursadas em uma faculdade de ponta ou uma “uniesquina” da vida; no final, o que vale mesmo é quantos clientes temos e se o que temos (em quantidade e qualidade) é capaz de, no mínimo, sustentar razoavelmente nossas necessidades e a nossa casa. De resto, às favas com “tenho dezenas de curso de extensão, outra dúzia de pós graduação”, se isso não se traduzir em honorários.
.
Evidente, que é obrigação nossa a contínua qualificação e, nesse sentido, quanto melhor preparado, mais confiante em atuar ficamos, razão pela qual você mencionou sentir confiança em determinadas áreas, já que se especializa, constantemente.
.
Mas aí vem a questão: não fecho contratos na quantidade qualidades desejados. Aí é que está! Construir uma carteira de clientes não é para qualquer um e tampouco (é a regra) se constrói rapidamente. Leva-se tempo, anos, talvez… Mas os boletos não esperam, momento em que você começa a se questionar onde está o erro, o que ainda não foi feito? Será que não acertei no curso correto, na pós do pote de ouro (que vai me entregar todo o ouro que fará, magicamente, meu escritório chover clientes)? Eu “arrasto pra cima” tudo que é storie patrocinado sobre algo como “Acesse já e saiba como faturar 50k por mês, na advocacia” ou então “Inscreva-se aqui e participe do curso imersivo xpto que vai mudar a sua advocacia” e até agora… Nada!
.
Saiba, meu amigo, que não é só você que vive esse dilema. Muitos vão atribuir que somos milhões de advogados para apenas dezenas de clientes, que aqui tem mais faculdade de Direito do que o número de faculdades no mundo inteiro e blá-blá-blá. E vc lê ou escuta isso ao mesmo tempo em que vê outros colegas (não me refiro às estrelas do ramo ou grandes bancas), que não são proeminentes, nem de família abastada, mas que têm tido razoável resultado em sua advocacia, o que faz cair por terra as falácias sobre o mercado estar saturado, que a faculdade não nos preparou para sermos advogados (aqui, eu rio bastante, pois de fato não é competência da faculdade preparar o aluno de direito para ser advogado, pois se fosse assim, seria curso de advocacia, não de direito. Por acaso, para ser advogado, precisa ser bacharel em Direito, mas deixemos essa conversa para outra hora).
.
Enfim, meu nobre…Como você diz estar aberto a dicas, não sou nenhum mentor, nem ostento currículo que me capacita a ser o maioral entre nós, apenas me solidarizo com os colegas (que como eu, matamos um leão por dia para dar certo na nossa profissão), então lá vai. Lembrando que não existe receita de bolo para o sucesso (quem dera existisse), mas quiçá algumas dicas e alguns detalhes possam te ajudar de alguma forma; afinal: insanidade é proceder sempre da mesma forma, esperando resultados diferentes:
.

  1. Você indica uma conta no Insta que é fechada ao público (imagino que seja pessoal), mas na bio há uma outra conta, essa sim, aberta, ótimo! Vi que ela foi criada em 2020, mas há poucos seguidores e sua última publicação por lá foi em maio de 2023, o que pode sinalizar desinteresse na própria conta (no sentido de investir com mais constância), o que - por sua vez, traduz na falta de seguidores e, claro, de possíveis clientes. (Há outros aspectos que eu abordaria, mas ficaria muito extenso aqui).
    .
  2. Comecei falando sobre o Insta (não sei sobre suas outras redes), porque é fato de que quem não se comunica, se trumbica (como dia Chacrinha). Na nossa já restrita profissão (onde quase não podemos muitas coisas a título de Merchant) é crucial que a gente se exponha (sem medo de sermos felizes) se quisermos ter alguma chance. Criar autoridade num ramo e assuntos correlatos, estar presente ativamente não só nas redes, mas nas ruas, em eventos, na nossa subseção, e por aí vai, pode a médio longo prazo nos oportunizar parcerias, fechamento com algum bom cliente e portas abertas (falo por experiência própria).
    .
  3. Com todo o respeito, dane-se se alguém ou alguns possam considerar que você esteja sendo exibido ou querendo se aparecer (mas é exatamente isso, você quer e precisa se aparecer), os que criticam (às escondidas) nunca veem à sua porta querer saber como você está, se se alimentou ou se te falta alguma coisa; então, meu amigo, “mete o louco” e faça o que tiver que fazer, sem receio de comentários contrários.
    .
  4. Por fim, dentre tantas e tantas coisas que poderiam ser ditas, limite seu nicho de atuação (ao menos por enquanto, para ter um norte e um “carro-chefe”) e se venda - Não se trata de mais cursos, mas de sair do escritório ou de sua casa e meter as caras por aí. Puxe assunto com frentistas, recepcionistas, dê cartão pra todo mundo. Poste com mais frequências (Você, em carne e osso, não postagens ao estilo “direto do Senado”, com muitos textões).
    .
  5. Não existe fórmula mágica, infelizmente, mas realmente, em nossa profissão, vale a máxima que diz “o processo é lento, mas desistir não acelera”.
2 curtidas

Concordo com seus posicionamentos Dr.
E essa história de “quem não é visto, não é lembrado” é um fato!
Vejo colegas que são bem procurados simplesmente porque se juntam a políticos. Na minha região, é comum e necessário ser relacionado a política. Não precisa advogar pro prefeito, mas só em declarar apoio e estar presente em fotos, eventos e reuniões… pronto!
Entendo que cada região tem sua peculiaridade, mas no geral, as redes sociais estão ai pra facilitar a comunicação entre os clientes.
Experimente promover um post no Instagram de uma matéria que você domina, não precisa gastar muito, veja o que pode fazer com 40…50 reais (faz de conta que é aquela pizza que você deixou pra próxima). Use o Canva pra criar a arte, é gratuito e intuitivo.
Se uma pessoa fechar contrato, de certo já cobriu seu investimento.
Começando pequeno, dá pra ir evoluindo pra um Google ADS depois… O importante é começar!
Vários colegas já postaram contatos de quem faz marketing.
.
Essa questão de bons clientes depende muito de região, nicho e um pouco de sorte na minha opinião e nada como o tempo e experiência pra fazer seu nome decolar!
.
Digo tudo isso, mas estou pelejando na minha ascensão também. Apenas 5 anos de OAB, estou saindo da “jovem advocacia”.
.
Gosto desta comunidade exatamente por isso, pela oportunidade de poder trocar relatos, experiências e dicas com diversos colegas de todas as regiões do país e que dominam praticamente todas as áreas do direito.

2 curtidas

Muito bom o seu texto, me fez refletir. Orbgiado pelas dicas preciosas. Vou tentar movimenta-la novamente e deixar o meu instagram aberto também.

Eu teria adorado ler o complemento e dicas sobre o que fazer em relação a minha página do instagram. Pode alongar o texto, sem problemas rsrs

2 curtidas

Extamente Dr., imagino que o marketing regional seja realmente distinto. Obrigado pelas dicas preciosas.

Se precisarem de algo aqui em Fortaleza-CE, é só comunicar. Ou puder dar mais dicas de atuações ou áreas do direito, eu agradeço

2 curtidas

:rofl: :joy: Tá bom, doutor! Pode deixar que eu volto aqui e explano um pouco mais :wink:

1 curtida

Tmj @jfbadv :facepunch:
.

1 curtida