Duvida para quem atende no virtual

Boa noite colegas,
Sou advogada iniciante, gostaria de saber pra quem trabalha prospectando clientes no virtual como vocês fazem quando um causa é de um lugar muito longe e precisa fazer audiencia por exemplo? Vocês mandam preposto?
Obrigada desde já

6 curtidas

Olá, @biancacouver ! Sua dúvida é pertinente e obrigado por compartilhar aqui, com a comunidade!
Vamos lá!
Na sua pergunta, não sei se caso concreto ou mero exemplo, o mais difícil foi superado: conquistar um cliente e ganhar a confiança dele, para fechar contigo um contrato de serviços advocatícios a alguém distante dele. Dito isso, é de menos a questão “do como fazer” para o caso de haver uma audiência (que não seja virtual, pois daí a barreira da distância já é superada).
Em se tratando de audiência presencial, é essencial já comunicar de antemão, e deixar isso expresso em contrato e na procuração, da possibilidade de você substabelecer um (a) colega para comparecer à audiência. No caso, a remuneração do trabalho desse (a) profissional poderá ser suportado por você (em verdade, contando com essa possibilidade já é de bom tom embutir esse possível gasto nos honorários), ou cobrar do cliente (desde que ele saiba que haverá despesas fora dos honorários, como estada, contrato de terceiro, diligências diversas etc.).

5 curtidas

Complementando @biancacouver : em caso de audiência virtual e se tratar de cliente avesso à tecnologia, é recomendável instruir que ele esteja acompanhado “em off” de alguém que sirva como suporte (um filho, irmão, vizinho…), com a ressalva de que em certos processos, terceiros não são permitidos estarem no mesmo ambiente. Por isso disse em “off”.
Ou, fora isso, também possa ser que haja a necessidade de um colega profissional só para estar ao lado do assistido, acompanhando-o na audiência virtual.

5 curtidas

Dr., é muito pertinente essa dívida mesmo. Tenho receio em fechar contratos em outros estados onde não conheço ninguém, por ter que confiar em alguém responsável.
Sendo assim, as coisas são basicamente na cara e na coragem e preto no branco e na fé?!

4 curtidas

Confiei um amigo de outro estado a um colega que fez faculdade comigo, nem era meu cliente, mas deu tudo errado, o amigo perdeu a causa ao meu ver por irresponsabilidade do colega. Fiquei frustrado pois a indicação foi na base da confiança. Equiparando à um preposto ou contratado em que não conhecemos…o medo é o mesmo.

5 curtidas

Bem isso @haydenadvocacia ! Mas, veja: eu nunca deixei de fechar negócios por conta desse receio. Por quatro anos assessorei um vereador numa pequena cidade do Piauí (jamais estive lá!), sem jamais o ter visto, pessoalmente. A distância, atendi uma cliente do Amazonas, para algumas diligências extrajudiciais em São Paulo, por indicação de uma outra cliente (de Minas Gerais) sem jamais ter conhecido - pessoalmente - qualquer uma delas.
Tenho clientes e processos (ou tive) no RJ, BA, GO, DF, AL, MG, MS, PR, SC e RS e em muitas cidades do interior de SP e jamais tive problemas com a distância.
Não tenha receio de atender demandas fora da sua região…Pra tudo se dá um jeito e pra isso que servem os colegas (quando a situação exigir a presença física de um advogado).

5 curtidas

Riscos do negócio… @haydenadvocacia Vc deve avaliar o quê deu errado, pois “perder” causa é um termo muito forte, já que o nosso trabalho não é de resultados, mas de meio…A não ser que por “perder” vc esteja se referindo a fatos objetivos como o seu indicado não ter comparecido à audiência, ou ter se atrasado para ela, ou durante a audiência não inquiriu testemunhas, contraditou quando tinha de contraditar, não protestou, não entrou com recurso quando cabia … algo nesse sentido. Mas, subjetivamente, não dá pra falar que um advogado “perdeu” a causa, assim… Mas bola pra frente, doutor!

4 curtidas

Generalizei o termo perdeu, quando quis dizer que o colega deveria se manifestar e não o fez, o amigo perdeu o objeto (um carro).

5 curtidas

Lembro que ele foi curtir o festival do boi de Parintins e deixou de se manifestar. Não lembro bem da demanda, mas era algo extrajudicial.

5 curtidas

Então, foi mais ou menos no que eu supus: deixou de praticar algo que seria - talvez - crucial para evitar o que ocorreu ao seu amigo…

5 curtidas

Putz @haydenadvocacia ! Lamentável!

5 curtidas

É isso mesmo Dr, eu queria saber como fazer, se for preciso substaceler. Vi que aqui no site mesmo existem oportunidades e fico com medo de entrar em contato com o cliente por não saber como proceder no pós fechamento de contrato e nessa fase de audiências. Muito obrigada por compartilhar seu conhecimento comigo.

5 curtidas

É uma prazer ajudar @biancacouver !

Um dia aprendi algo e agora repasso a você: é preferível não estar 100% preparado e agarrar a oportunidade, quando ela lhe aparece a deixar passá-la, para esperar estar preparado. Há ocasiões que as oportunidades nos vêm, mas não voltam.
O que mais tem de norte a sul do país é prestativos advogados dispostos a trabalhar. Fechou com um cliente de outra região? Ótimo! Se e quando precisar de um colega de apoio, não tenha receio em contratá-lo para determinado ato: uma audiência, uma diligência…
Abraços, sucesso e conte comigo!

6 curtidas

Dra. Bianca, muito bem vinda!
Dra. no caso de meu escritório, quando se trata de uma ação longe de nossa cidade, nós contactamos colegas para que possam realizar a diligência com serviço de Correspondente Jurídico. Tem dado muito certo!
Sucesso sempre!
Nosso Istagram

4 curtidas

Esse é o espírito: oportunizar aos pares as demandas em suas localidades. Assim, se constrói uma cadeia de parcerias produtiva.

2 curtidas